top of page

Lúpulo de Viana garante cerveja artesanal mais barata, chás e cosméticos


Foto: Bruno Laurindo

Viana está se consolidando enquanto a capital capixaba do lúpulo. A cidade do primeiro Polo Cervejeiro Municipal do Brasil está desenvolvendo a produção e estudos de lúpulo, o principal insumo para produção cervejeira.


Os experimentos, realizados em uma iniciativa da Prefeitura de Viana, por meio da Secretaria de Agricultura (SEMAG), e do Instituto Federal do Espírito Santo (IFES) - Campus Vila Velha, demonstram que o lúpulo tem propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e calmantes, com potencial de garantir cerveja artesanal mais barata no Espírito Santo, além de produção de chás, cosméticos e suplementos.


“Com o desenvolvimento deste projeto, reafirmamos nossa posição como pioneiros no desenvolvimento do Primeiro Polo Municipal de Cervejarias Artesanais do Brasil”, reforça o prefeito Wanderson Bueno. “Além de impulsionar o turismo e a cultura da nossa cidade, essa atividade também gera oportunidades para nossos produtores rurais e quem deseja atuar nos mais diversos ramos da nossa cadeia produtiva. Aceitamos os desafios, estudamos, nos planejamos e, hoje, nosso sonho se tornou realidade”, lembra.


Cerveja artesanal capixaba mais acessível


A produção do lúpulo em Viana vai impactar na redução dos preços das cervejas artesanais capixabas, uma vez que o insumo, geralmente importado da Europa ou América do Norte, chega a custar cerca de R$ 300,00 por quilo. Com a produção local, há previsão do barateamento do valor do insumo em até 50%, uma vez que o lúpulo vianense tem qualidade superior, tem produzido mais safras anualmente e reduz custos de importação.


Foto: Bruno Laurindo

Um exemplo da redução dos valores foi demonstrado em um dos campos de lúpulo privados da cidade, no sítio Clóvis d’Oliveira, na localidade rural de Lapinha. Na primeira colheita realizada em julho, menos de cinco meses após o cultivo, teve a safra de 250 quilos vendida por R$ 150 a saca.


O clima


A relação do lúpulo com o clima está sendo colocada por terra. Sendo assim, o insumo, antes visto como uma planta de tempo frio, que só prospera em países do hemisfério norte, encontrou, no clima quente, latitude e luminosidade de Viana, um espaço ideal para crescer e produzir três vezes mais colheitas em relação a outros locais, desafiando a literatura sobre o tema.


Os resultados dos estudos realizados com as espécies cultivadas no município estão superando as expectativas. Uma das variedades do lúpulo apresentou percentual de alfa ácido - composto encontrado nas flores do lúpulo e que são responsáveis por formar o amargor da cerveja - superior ao esperado nesta fase da pesquisa.


O lúpulo além da cerveja


A planta tem a função de dar sabor e aroma a cerveja, podendo resultar em um tipo específico de cerveja, como por exemplo a Pilsen, IPA, APA, Red ou Blonde. Apesar disso, em Viana, o lúpulo promete ir além da produção cervejeira artesanal.


Foto: divulgação Prefeitura de Viana

Neste caso, diversas espécies de lúpulo estão sendo estudas para definir qual delas se adapta melhor ao solo e clima da região. O destaque está na espécie Humulus Lúpus, que aponta resultados promissores no que se refere a suas propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias.


O insumo agora está sendo utilizado na fabricação de fármaco e cosmético, creme de beleza, desodorantes e loções de barbear. As propriedades calmantes encontradas nesta espécie apontam para até mesmo para a produção de chás.


*Ygor Amorim - prefeitura de Viana/ES


Posts recentes

Ver tudo

Siga as nossas redes e fique por dentro de tudo do

mundo cervejeiro!

  • LinkedIn
  • Twitter
  • Instagram
  • YouTube
  • Spotify
bottom of page