top of page

MeuChope: a startup de tecnologia cervejeira que quer democratizar o chope no Brasil e no mundo


A plataforma MeuChope.com é a retirada de cerveja artesanal por meio de uma tecnologia cervejeira embarcada que possibilita o uso das torneiras de forma autônoma nas chopeiras. Sendo assim, o consumidor utiliza o próprio smartphone para escancear o QR code após fazer a escolha dos chopes disponíveis no local. O pagamento é feito pelo Pix, PicPay e cartão de crédito.

A MeuChope.com é uma startup de tecnologia cervejeira capixaba. O sistema, produzido pela própria empresa, é uma válvula embarcada que permite o uso das torneiras de chope de forma autônoma. Neste caso, o consumidor tem total autonomia de escolher a cerveja artesanal que quiser e a quantidade que quiser sem ter que enfrentar filas, sem ter que depender de garçons, entre outros obstáculos. Ou seja, 100% autosserviços! Sendo assim, o cliente utiliza o próprio smartphone para fazer a escolha dos chopes disponíveis no local. O pagamento é pelo Pix, PicPay e cartão de crédito.


Kegerator com tecnologia embarcada da MeuChope.com. Equipamento permite a retirada de chope de forma autônoma. O pagamento é via Pix, PicPay e cartão de crédito. (foto: Bruno Laurindo)

O projeto MeuChope é a retirada de cerveja artesanal por meio de uma tecnologia cervejeira embarcada nas chopeiras ou em Kegerators - espécie de vending machine do chope. A máquina de chope da MeuChope é um barril refrigerado com extração a frio. O equipamento faz com que o barril aumente a vida útil do chope sem risco de deteriorar, mantendo as mesmas características de quando saiu do fermentador.


Há duas formas para a compra do chope: a compra direta pelo QR CODE, disponível nos equipamentos, ou pelo aplicativo da MeuChope. O aplicativo é mais vantajoso, pois o consumidor tem algumas prioridades como: comprar chope mais barato e comprar produtos exclusivos da empresa como eco copos, copos térmicos e bonés. Também pelo aplicativo o cliente consegue utilizar o mapa onde ele encontra todos os pontos que já possuem a tecnologia MeuChope, como por exemplo: Shoppings, condomínios, eventos, etc.


De acordo com Augusto Sato, COO da empresa, a retirada de chope com autosserviço era uma coisa que já acontecia, mas sem a eficiência e a tecnologia que a startup apresenta. “O que a gente fez foi trazer tecnologia para dentro. Foi criar um modelo de negócio diferente”, reforçou. “Acredito que muito além de Tap bar, o chope tem que estar próximo de todo mundo. Pode estar em qualquer lugar! Dentro do condomínio, em um bar, em coworking, nos shoppings, em vários locais. Hoje, a gente tem máquinas de chope que é basicamente uma cervejeira com tecnologia embarcada”, explica Sato.


Bruno Medeiros e Augusto Sato - Sócios fundadores da MeuChope.com. (foto: Bruno Laurindo)

Para o CEO da startup, Bruno Medeiros, a ideia central da válvula da MeuChope é levar as microcervejarias a lugares que antes elas não tinham acesso. “É colocar isso direto em contato com o consumidor final, 24h por dia, o mais próximo possível”, afirma o empresário.


É importante lembrar que a MeuChope não fabrica chopes e nem cervejas. Por ser uma plataforma, a startup trabalha junto com as cervejas artesanais de cada Estado - microcervejarias e pequenos empreendedores cervejeiros. Com a tecnologia embarcada, a empresa tem o objetivo de fortalecer, cada vez mais, a comunidade cervejeira artesanal, levando o chope para lugares onde as pessoas não têm acesso.




Sr. Mustache


A MeuChope.com é a maior plataforma do Brasil para desenvolver e promover as Cervejarias Artesanais. Portanto, para entender a filosofia da startup, é preciso voltar há cerca de 4 anos. Augusto Sato lembra que antes de existir, a MeuChope era uma grande dúvida. “O impasse era como facilitar a venda das cervejarias artesanais para o consumidor final”.


Sato é empresário e há 20 anos atua na área de eventos. O cervejeiro revela que já montou inúmeros festivais e que durante todo esse tempo acompanhou o crescimento do mercado cervejeiro artesanal no Estado do Espírito Santo e, ao mesmo tempo, viu a necessidade das micro cervejarias em divulgar e vender seus produtos.


Espaço Sr. Mustache localizado na Av. Desembargador Demerval Lyrio, 390, Mata da Praia - Vitória/ES. Atualmente o local é a base da MeuChope. (foto: Bruno Laurindo)

“Pensando nisso, montei um espaço permanente onde várias empresas, inclusive as cervejarias, pudessem realizar eventos e expor seus produtos. Era um clube de negócios chamado Sr. Mustache”, revelou. “Infelizmente só consegui inaugurar em março de 2020, pouco antes do início do lockdown em função da pandemia”, disse. Com isso, tivemos que cancelar todos os nossos eventos, dificultando toda a nossa operação. Diante do cenário, as cervejarias artesanais capixabas não tinham mais como vender seus chopes”.


"Montei um espaço permanente onde várias empresas pudessem realizar eventos e expor seus produtos". [Augusto Sato]

O autosserviços foi a solução, consolidando-se como a melhor opção para as micros cervejarias artesanais. Com o espaço, localizado no bairro Mata da Praia, em Vitória, e a venda de chope pelo aplicativo, o Sr. Mustache pode explorar, cada vez mais, as torneiras para permanecer fornecendo um ponto de venda para as Cervejarias Artesanais.


Diante disso, Sato foi convidado a colocar estações de chope artesanal nos principais shoppings da Grande Vitória. “Com a expansão dos novos pontos, tivemos muitos problemas com a tecnologia existente para autosserviços”, lembra. “Foi aí que conheci o Alejandro e o Silas, sócios-fundadores da Zapizi”.


A Zapizi é uma empresa de automação mediante pagamentos digitais para poder automatizar serviços e equipamentos. O primeiro produto testado foi o chope, mas há projetos da Zapizi para inúmeros produtos no futuro, como por exemplo: cancelas, máquinas de café, cadeiras de massagem, etc.


Assim sendo, qualquer serviço que seja de automação, é possível que tenha Zapizi embarcada. De acordo com os fundadores, a Zapizi é uma empresa criada com objetivo de resolver conflitos. Portanto, ela tem como filosofia: não gerar atrito para o consumidor; viabilizar o consumo de produtos; e facilitar o acesso rápido de serviços.


Licenciados da MeuChope

Segundo Augusto Sato, a partir da tecnologia segura da então parceira Zapizi, o Sr. Mustache passou a desenvolver equipamentos compactos com capacidade de colocar cerveja artesanal de qualidade o mais próximo possível do consumidor. Tal processo contribuiu para a expansão e o desenvolvimento de um modelo de licenciamento de nome MeuChope.com. “Minha intenção foi ligar as microcervejarias aos investidores e, com isso, disponibilizar máquinas autônomas de chope em locais onde antes não existia”, ressaltou o empresário.


Augusto Sato, por motivos estratégicos, criou o modelo de licenciamento. “O cliente pagaria pela máquina completa, mais a mensalidade mensal da tecnologia. A partir daí, com a máquina em mãos, o cliente operador escolhia um ponto e começava a operar com direito a acesso ao sistema da Zapizi com todas as informações”.


Com a política de licenciamento, Sato conheceu o economista Bruno Medeiros. Até então, o empresário não aceitava que a MeuChope.com fosse, de fato, uma startup. “Depois que conheci o Bruno, vi que a MeuChope era um projeto muito maior que apenas um equipamento”, revelou. “Enxerguei que tínhamos a possibilidade de mudar a dinâmica de acesso a um produto que tinha uma dor de distribuição pelas cervejarias e dificuldades de acesso pelos consumidores”, esclareceu o empresário.


A partir daí, Augusto Sato e Bruno Medeiros se juntaram e foi feito o primeiro aporte. “Juntos com o time de tecnologia, vimos que teríamos uma empresa que precisava disponibilizar essa tecnologia para todo o Brasil”, contou Sato.




1ª Rodada da empresa avaliada em R$20 milhões


Com o valuation de R$20 milhões, aporte do norte-americano Michael Nicklas, que participa de um fundo com operação no Vale do Silício focado em startups, os recém-sócios da MeuChope.com, Augusto Sato e Bruno Medeiros, decidiram recomprar todos os equipamentos dos licenciamentos. A partir daí, iniciaram uma operação centralizada mantendo o controle dos processos de abastecimento e manutenção dos equipamentos.


“Com a confiança do nosso investidor, Michael Nicklas, optamos por testar também outros canais de venda para os chopes artesanais”, disse. “Sendo assim, voltamos com os equipamentos para os shoppings e levamos aos mais diferentes tipos de pontos de aglomeração e fluxo, como por exemplo: condomínios, postos de gasolina, coworkings e eventos pela Grande Vitória. Tudo isso para entender a dinâmica de uma venda 100% autônoma”, explicou. “Neste cenário, testamos os canais e aprendemos muito sobre o comportamento do consumidor e a sensibilidade a preço e variedade de chopes”, afirmou Sato.



Durante este período, os sócios-empresários Augusto Sato e Bruno Medeiros receberam convidados - imprensa, influencer e mestres cervejeiros capixaba - para o lançamento oficial da MeuChope na capital capixaba, Vitória. Daí em diante, com o objetivo de democratizar a cerveja artesanal e, com isso, investir no mercado cervejeiro, a startup pode expandir seus serviços para outras regiões do Espírito Santo e do Brasil. “Com a campanha ‘Abra os Trabalhos’, apresentamos para os capixabas a nossa plataforma de negócios MeuChope.com. Foi um sucesso!”, declarou Bruno Medeiros.




2ª Rodada da empresa avaliada em R$40 milhões


Com a expansão das operações em tempo recorde, Sato viu a importância de melhorar, ainda mais, a tecnologia da MeuChope. O COO entendeu que a aquisição das empresas Sr. Mustache e Zapizi era a melhor forma de fortalecer a startup. “Depois de conversar com o Bruno Medeiros, adquirimos o Sr. Mustache. Em seguida, decidimos fazer uma proposta para o Alejandro e para o Silas”.



Zapizi


Após dois anos, desde a fundação do projeto Zapizi, Alejandro e Silas de Moraes entenderam que tinham em mãos um sistema que poderia ser pago por meio de Pix e Picpay, totalmente Web - sem baixar nada e sem fazer nenhum cadastro para liberar a torneira - a partir de uma válvula, com o menor preço de custo do mercado e com a menor margem de erro. Foi assim que surgiu no mercado um produto inteligente o suficiente para se auto regular em uma faixa de vazão e pressão gigantesca - a maior do mercado na atualidade - que detectasse automaticamente problemas com a intenção de ser a melhor no mercado em autosserviços.


"Como o nosso objetivo é ser 100% autosserviços, diferente de todos os nossos concorrentes, a nossa máquina tem a preocupação de ser perspicaz e, assim, conseguir resolver problemas de forma ágil”, lembra Silas de Moraes, atual CTO da MeuChope. “Neste caso, isso tudo fez com que a gente estivesse à frente em termos de acessibilidade - fazendo com que o cliente tenha acesso ao produto com muito menos atrito do que os produtos existente no mercado - e também de precisão, porque o nosso foco era que o cliente comprasse sem ter nenhuma intervenção humana”, disse. “Então, toda a parte de detecção e correção de erros, o sistema já fazia e já dava o feedback para o usuário sem ter que fazer nenhum cadastro, sem ter que fazer nenhum download, o que foi um desafio que, no final de 2020, acarretou em um grande produto”, explicou de Moraes.


"A nossa máquina tem a preocupação de ser perspicaz e, assim, conseguir resolver problemas de forma ágil". [Silas de Moraes]

Silas ainda lembra que nesses dois anos a Zapizi conheceu o Sr. Mustache e, com os propósitos alinhados, juntos, conseguiram chegar em um modelo de negócio criando uma relação de cliente fornecedor - a Zapizi era fornecedora da tecnologia e o Sr. Mustache desenhou uma dinâmica que pode explorar a operação de chope.


Assim sendo, foi criado uma dinâmica onde as pessoas investiam em CAPEX (valores financeiros em recursos) para aquisição de máquinas. No entanto, devido ao valor elevado do CAPEX, Augusto Sato, por motivos estratégicos, criou um modelo de licenciamento (já mencionado anteriormente no texto).


Equipamento com tecnologia embarcada da Zapizi. (foto: arquivo MeuChope)

A partir daí, com a parceria firmada, o Sr. Mustache, por meio de uma camada de negócios, passou a revender a tecnologia da Zapizi com uma série de benefícios - marca, identidade visual, equipamentos, e todo o conhecimento. Compreendeu-se que dentro do modelo de negócio o licenciamento fazia todo o sentido, no entanto, a operação precisava passar por uma série de etapas de qualidade para poder ser escalável.


“Entendeu-se que juntos éramos mais fortes. Após negociação, foi feita a proposta de compra da Zapizi pela MeuChope”, reforçou Silas. “Neste caso, a Zapizi foi vendida para a startup e, nesse processo, os dois times se juntaram e agora querem atingir o objetivo que é dobrar o tamanho do mercado de cerveja artesanal, passando pelas torneiras da MeuChope 15 milhões de litros ao mês”, comemorou o CTO.


A partir da aquisição do Sr. Mustache e Zapizi, começou-se a adaptar o processo de transpassar esse novo modelo de negócio - que funcionou bem em Vitória - para todo o Brasil, criando a maior rede de câmara fria do país, sem ter nenhuma câmara fria; e o maior vendedor de chope do Brasil, sem produzir uma gota de chope.


“Pensando em expandir, cada vez mais, fomos para São Paulo e aproveitamos a Brasil Brau para conversarmos com as principais Cervejarias Paulistas. E lá vimos que as dores eram as mesmas dores das microcervejarias de outros estados”, revelou Augusto Sato. “Vimos que dentro da comunidade cervejeira faltava um player neutro que ajudasse a fomentar todas as cadeias de produção. E com isso, vimos a importância em acelerar a implementação da nossa plataforma”, destacou o empresário.




O Brasil Brau é o maior evento profissional da indústria cervejeira do Brasil. O encontro, realizado entre os dias 30 de maio e 1° de junho de 2022, no São Paulo Expo (SP), reuniu mais de 70 expositores de 10 países. Na edição de 2022, a comunidade cervejeira pode conferir as novidades apresentadas pelos expositores de equipamentos, insumos e acessórios do segmento. Participando pela primeira vez do Brasil Brau, a MeuChope representou o Espírito Santo e mostrou para o público presente a sua tecnologia cervejeira para autosserviços.



Durante o evento, os sócios fundadores da MeuChope, Bruno Medeiros e Augusto Sato, fizeram parcerias de médio e longo prazo, oficializando a startup capixaba no cenário cervejeiro nacional como sendo uma plataforma de tecnologia focada no desenvolvimento do setor e na melhoria de todos os pilares da economia. Assim sendo, a partir do Brasil Brau, a MeuChope conseguiu disseminar o conceito de tecnologia cervejeira como uma plataforma de facilitação para o acesso aos melhores chopes do país - Cerveja Artesanal fresca e acessível 24 horas por dia.


Augusto Sato entendeu que o Brasil Brau 2022 foi a melhor oportunidade para a startup capixaba apresentar suas torneiras de chope autônomas. “Realizamos parcerias com os expositores e, assim, conseguimos concretizar o nosso objetivo que era apresentar a MeuChope para o Brasil”, lembrou o COO.




Principais Eventos Parceiros em 2022



Equipamento com tecnologia embarcada da MeuChope no estande da cervejaria Grecco - parceira no Circuito Capixaba de Cerveja Artesanal em Venda Nova do Imigrante. (foto: Bruno Laurindo)

Passado o Brasil Brau 2022, a MeuChope, por meio de parcerias, participou dos principais eventos no Espírito Santo. O Circuito Capixaba de Cerveja Artesanal no município de Venda Nova do Imigrante, nas montanhas capixabas, foi um desses eventos. O festival cervejeiro, realizado entre os dias 24 e 26 de junho, contou com a presença de quatorze cervejarias artesanais, atrações musicais, gastronomia, artesanatos regionais, e a tecnologia cervejeira da startup.


A MeuChope, que tem o objetivo de democratizar a cerveja artesanal em grande parte das regiões sul e sudeste do Brasil, apresentou seus equipamentos cervejeiros, com torneiras 100% autônomas, para o público que frequentou os três dias de festival no Centro de Eventos Padre Cleto Caliman (Polentão).


Referência de entretenimento, o espaço para eventos do Posto Iate fica localizado no coração do triângulo, no bairro Praia do Canto, em Vitória. (foto: Bruno Laurindo)

A reinauguração do espaço para eventos Posto Iate no bairro Praia do Canto, em Vitória, foi outra conquista da MeuChope. O local, parada certa dos capixabas nos anos 90 e 2000, recebeu as cervejarias artesanais para poderem comercializar seus produtos direto com o consumidor final por meio das torneiras autônomas da MeuChope.com.


Com o ponto ativado em 2022, a MeuChope resgatou uma memória afetiva de uma geração que frequentou o local durante décadas. “O Posto Iate era referência de entretenimento na Grande Vitória. Durante muito tempo o local foi ponto de encontro entre amigos. Foi um espaço que a galera sempre se reunia para fazer um happy hour, fazer um esquenta para a balada”, lembrou Augusto Sato.



Tradição na cidade de Vila Velha, o Degusta Beer é, atualmente, o maior evento cervejeiro no Espírito Santo. (foto: Bruno Laurindo)

A edição do Degusta Beer 2022 teve a MeuChope como patrocinadora oficial. O festival cervejeiro aconteceu entre os dias 07 e 17 de julho no Shopping Vila Velha, em Vila Velha. A startup apresentou suas torneiras autônomas e o público conheceu, de perto, o sistema de automação da empresa sensação no segmento cerveja artesanal.




O Festival de Forró em Itaúnas é o maior evento forrozeiro do Espírito Santo e é considerada um dos principais festivais de forró do Brasil. (foto: Bruno Laurindo)

A MeuChope também esteve presente no Festival de Forró em Itaúnas. A startup apresentou as suas torneiras autônomas - com pagamento via Pix, Picpay e cartão de crédito, direto pelo smartphone - para o público forrozeiro que frequentou o evento entre os dias 16 e 23 de julho. Durante este período, a MeuChope disponibilizou os equipamentos em três locais distintos: Forró da Padaria, Espetinho e Caldos JP, e no Vilas Shows. Sendo assim, quem foi à Vila de Itaúnas pôde degustar o melhor da cerveja artesanal capixaba.



Aplicativo MeuChope


O App MeuChope foi desenvolvido com o intuito de gerar mais valor para o consumidor. Seu objetivo é estreitar o relacionamento por meio de benefícios. De acordo com os desenvolvedores, na tela inicial estão todas as informações básicas para a operação do app.


No aplicativo da MeuChope, o consumidor consegue comprar chope com até 10% de desconto. (foto: Bruno Laurindo)

“Agora a gente tem um leitor de QR code que, ao apontar para os QR codes de nossas máquinas, ele identifica, e caso você tenha saldo, ele já faz a liberação do produto. Caso não tenha saldo, ele vai abrir a função ‘comprar créditos’”, informou Silas de Moraes.


CTO da MeuChope, explicou que o aplicativo da MeuChope aceita três formas de pagamentos: o Picpay, o Pix (qualquer banco) e cartão de crédito (qualquer bandeira). “Para usar o cartão de crédito, primeiro o consumidor precisa cadastrar o cartão com as informações solicitadas para que o cartão possa ser validado. Já no Picpay, o cliente precisa abrir o App do Picpay”, disse. “No Pix, o usuário usa o mecanismo do Pix - copia e cola - clica em colar e confirma o pagamento. O sistema do app vai autorizar mostrando o saldo atual do cliente”.


"No APP o consumidor tem algumas regalias". [Silas de Moraes]

Ainda de acordo com o CTO, na tela de ‘comprar créditos’ o cliente tem como informar o valor digitando ou selecionando os valores padrões. “Nós temos uma formação que é possível assinar um plano onde o cliente ganha desconto. Neste caso, o consumidor carrega mensalmente R$100 e ganha todo mês 10% de bônus”.


Silas de Moraes, um dos sócios fundadores da Zapizi. Atualmente o empresário é o CTO da MeuChope.com. (foto: Bruno Laurindo)

Sendo assim, o usuário pode escolher três planos. São eles: o degustador, com 10% de bônus; o especialista, com 15% de bônus; e o mestre cervejeiro, com 20% de bônus. Cada um deles progredindo em bonificações e também em valores.


O App da MeuChope também oferece a opção de saldo. Quando o cliente clica no saldo, o aplicativo mostra um histórico com todas as transações feitas, além da opção de abrir a torneira. Com essa nova atualização, ao abrir a torneira, o aplicativo mostra por geolocalização. Ou seja, quando o usuário abre o App, ele pede autorização para acessar a geolocalização. Após autorização, o aplicativo mostra todas as lojas próximas. Neste caso, o consumidor consegue também ver as lojas, a foto da loja, o endereço e a distância que ele está dela.


Segundo Silas de Moraes, ao selecionar as lojas, o app vai oferecer, como opção, todas as torneiras disponíveis da loja. E também vai dar, além da opção de comprar o produto, a opção de criar uma rota. “Clicando em criar ‘rotas’, o App vai abrir o aplicativo padrão do celular de rotas, na maioria dos smartphones, o google maps, por exemplo. Daí vai traçar o caminho de como o usuário pode chegar no local de destino”, explica.


Segundo Silas, outra novidade está na tela de liberar a torneira. “A gente tem o ícone do mapa que ao clicar ele vai abrir o mapa da cidade, centralizado onde o usuário está. Em seguida, vai mostrar todos os pontos da MeuChope que estão na região”, afirma. “Os pontos nas cores amarelo, são pontos abertos ao público como, por exemplo, shoppings. Os pontos nas cores preto, são pontos privados tipo condomínios ou lugares de acesso restrito. Daí o cliente consegue ver não só as lojas da região, mas também as lojas de todo o Brasil”.


Geolocalização, mapa e planos de assinatura foram as novidades lançadas pela MeuChope.com para o MeuChope Festival. Outro diferencial é que todos os bancos que trabalham com Pix funcionam como forma de pagamento dentro do aplicativo da MeuChope.





Entre os dias 06 e 11 de setembro, a MeuChope.com realizou o seu primeiro festival, após inúmeros testes em eventos produzidos por empresas parceiras. O MeuChope Festival, evento de tecnologia cervejeira, utilizou um paredão de 30 metros com 60 torneiras autônomas e as 30 melhores cervejarias artesanais capixabas, além de gastronomia e apresentações musicais. O festival aconteceu no estacionamento externo do Boulevard Shopping Vila Velha, em Vila Velha/ES. O local tem 2.000m² e a capacidade para 1.500 pessoas.


O MeuChope Festival é o maior evento cervejeiro, utilizando torneiras autônomas, do Brasil. Para os seis dias de festival, a MeuChope apresentou um paredão de 30 metros com 60 torneiras com tecnologia embarcada. (foto: Bruno Laurindo)

Para este evento, a startup optou por não trabalhar com copos descartáveis. Sendo assim, o público que foi ao festival pode levar o seu próprio copo térmico ou caneca térmica, além de poder comprar o eco copo e copo térmico exclusivo da MeuChope pelo aplicativo.


As pessoas que foram ao festival também encontraram um ambiente repleto de novidades como um túnel de led, um Insta 360 e tonéis instagramáveis. Os tonéis instagramáveis foram produzidos pelo projeto ‘Sopa das Minas’, movimento grafiteiro da Grande Vitória criado só por mulheres.


"A gente quis dar visibilidade para a quantidade de cervejarias que estão no mercado capixaba". [Augusto Sato]

Consumidores tendo a primeira experiência no paredão de 30 metros que ofereceu 60 torneiras autônomas com chope das 30 melhores cervejarias artesanais capixabas. (foto: Bruno Laurindo)

Augusto Sato reforçou que a proposta da MeuChope com o festival foi apresentar as cervejarias artesanais parceiras para o consumidor final, oferecendo um espaço igualitário com gastronomia e lazer. “A gente quis dar visibilidade para a quantidade de cervejarias que estão no mercado capixaba. Foi a oportunidade de fazermos um grande festival com 30 cervejarias ao mesmo tempo, além de trazer atrações regionais de todos os estilos, provando que um festival cervejeiro pode ser extremamente democrático”, explicou o empresário.


Bruno Medeiros destacou a importância do MeuChope Festival ao valorizar a economia local investindo também nas apresentações e na culinária regional. “Além da cerveja artesanal, o MeuChope Festival trouxe o melhor da música capixaba baseando-se na cultura regional que é outro ponto bem importante que a gente valorizou muito”, ressaltou. “Esse foi o nosso objetivo: oferecer para as pessoas elementos locais que possam ser valorizados, como a gastronomia capixaba, por exemplo, que é rica e tem um público fiel”.



A MeuChope ofereceu a oportunidade de compra dos eco copos e copos térmicos para quem foi ao MeuChope Festival. Segundo Augusto Sato, a startup tem uma dinâmica ecológica com propósito de levar chope direto do barril para o consumidor final, evitando recipientes como garrafas pet, copos plásticos, entre outros tipos de materiais apropriados para armazenamento do produto.


Eco copos, copos térmicos e bonés personalizado da MeuChope. (foto: Bruno Laurindo)

“Neste caso, não seria correto fazer um festival em que gerasse uma quantidade de lixo muito grande”, afirmou. “Então a gente optou por trabalhar com eco copos e copos térmicos porque, além de ser ecologicamente correto para o evento, acaba também ficando uma lembrança para os clientes que vão frequentar o espaço e vão levar para casa os copos, podendo reutilizá-lo posteriormente”, finalizou o COO.




"Não seria correto fazer um festival em que gerasse uma quantidade de lixo muito grande". [Augusto Sato]

Ainda de acordo com o empresário, a intenção da startup cervejeira não foi lucrar sobre a venda dos eco copos e dos copos térmicos, mas de querer passar uma mensagem para que o público possa utilizar e reutilizar os copos exclusivos sem nenhum tipo de contratempo. Outro ponto interessante é que o festival também permitiu a entrada de copos térmicos e canecas térmicas. Ou seja, o visitante pode levar o seu próprio recipiente térmico de porte.





O clima pós-festival foi de comemoração, trabalho e muito foco. As atenções agora voltaram-se para Portugal onde, entre os dias 01 e 04 de novembro, acontece a ‘Web Summit Lisboa’ edição 2022. O evento será realizado na Feira Internacional de Lisboa (FIL) e vai apresentar novidades de empresas internacionais relacionadas aos setores de negócios e empreendedorismo.


O Web Summit já reuniu oradores como Stephen Hawking, Al Gore, Nicolas Cary, e Craig Federighi. Atualmente, o congresso é considerado o porta voz de desenvolvimento de software da Apple e conhecido pela a internacionalização das startups com o objetivo de conectar pessoas ao ecossistema de empreendedorismo português, além de atrair investidores de diversos países.


A MeuChope.com, que é uma startup capixaba que produz válvulas que permitem a utilização de torneiras cervejeiras de forma autônoma, vai apresentar sua tecnologia embarcada na Web Summit. “É o maior evento de startups da Europa”, reforça Augusto Sato ao explicar a dinâmica da MeuChope no evento. “A gente vai colocar um estande lá para mostrar a tecnologia da MeuChope e, assim, apresentar os trabalhos que a gente vem desenvolvendo aqui no Brasil”, explica o empresário.


“Por conta do conceito do evento que aborda inovação e empreendedorismo, vamos divulgar o que a nossa plataforma oferece de benefício para as cervejarias artesanais utilizarem tecnologia e internet para ampliar os pontos de venda e consumo pelo país. Vamos levar a proposta da maior plataforma de fomento e democratização do chopp artesanal no Brasil”. [Augusto Sato] (foto: Bruno Laurindo)

Bruno Medeiros lembra da importância da MeuChope em participar da Web Summit 2022. “A WS é a oportunidade da gente apresentar, pela primeira vez na Europa, as nossas torneiras 100% autônomas”, ressalta o CEO. “É a WS que a galera se encontra para fazer network e integração de negócios. É um dos maiores eventos de tecnologia do mundo. Um ponto de relacionamento com investidores e também de parcerias com grandes marcas”, afirma o empresário.


A Web Summit Lisboa é a maior e mais importante conferência de tecnologia, inovação e empreendedorismo do planeta. O evento vai conectar startups e empresários com o ecossistema empreendedor português, que figura entre os melhores da Europa, além de servir como porta de entrada para diversas visitas técnicas focadas em networking e oportunidades de negócios.


Mudando o mundo, litro a litro

Na Web Summit a venda de cerveja não será permitida. Neste caso, Augusto Sato explica qual será a estratégia da MeuChope para apresentar a tecnologia para o público. “A intenção é ter o sistema funcionando caso alguém queira conhecer a dinâmica para poder fazer a venda de chope com o pagamento via moeda local”, destaca.


Com a tecnologia embarcada da startup, o consumidor tem total autonomia de escolher o chope que quiser e a quantidade que quiser sem ter que enfrentar filas e sem ter que depender de garçons. Sendo assim, o cliente utiliza o próprio smartphone para fazer a escolha dos chopes disponíveis no local onde ele se encontra.


"Vamos utilizar a WS para fecharmos as parcerias que a gente já tem e outras que estão por vir". [Augusto Sato]

Ainda de acordo com Sato, a partir da Web Summit Lisboa 2022, a MeuChope pretende abrir em Portugal algumas unidades para facilitar a partilha de recursos vindos da Europa. “Identificamos que na Europa o cervejeiro tem muita dificuldade na venda direta da cervejaria para o consumidor final”, afirma. “Neste caso, vamos utilizar a WS para fecharmos as parcerias que a gente já tem e outras que estão por vir", reforça Sato. “Queremos consolidar essas parcerias e, com isso, aproveitar o momento para implementar as primeiras válvulas lá na Europa”, finaliza.


Contando Histórias

Assim como no Brasil, em Portugal a MeuChope também quer contar histórias sobre as microcervejarias locais. Para isso, a startup pretende, já na WS, implantar case por toda a cidade de Lisboa.


“Já existem três cervejarias portuguesas que estão interessadas no nosso sistema. Sendo assim, vamos levar as válvulas para serem instaladas em locais estratégicos de Lisboa”, lembra Bruno Medeiros. “Vamos utilizar o Paypal para a galera colocar dinheiro e, com isso, terem a primeira experiência com a nossa tecnologia”, finaliza Medeiros.


Ainda de acordo com os sócios, a partir da WS, a MeuChope quer criar um modelo de negócio com o propósito de ajudar os brasileiros que vivem em Portugal a alavancar as cervejarias locais. Tal iniciativa facilita o alinhamento cultural e contribui, cada vez mais, para a economia regional.



Capacitação para a próxima rodada


Para a próxima rodada de negócios e captações, após o Web Summit Lisboa, a startup quer reforçar o seu aplicativo para eventos e abrir negociação, licenciando lojas de investimentos com operação MeuChope. “Queremos espalhar, cada vez mais, canais de distribuição para ficarmos mais próximos do consumidor final”, ressalta Bruno Medeiros.


No Espírito Santo a MeuChope tem 41 pontos ativos e funcionando em perfeitas condições. Em outras regiões do Brasil, a startup está com um total de 120 pontos. A maior parte deles estão em ativação. Atualmente, a MeuChope está em sete Estados do Brasil. Segundo os sócios fundadores, os clientes estão recebendo as válvulas, ativando e fazendo treinamentos.


A partir de reuniões com investidores na Europa, Sato e Bruno querem ampliar o número de clientes que utilizam as válvulas e fortalecer, cada vez mais, as operações próprias nos Estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.



Para adquirir as válvulas da MeuChope, os planos estão disponíveis no site MeuChope.com. Atualmente, existe o plano gratuito com até 10 torneiras, com uma única loja e até 10 barris. Já o plano básico oferece até 30 torneiras, mais 30 barris e 3 lojas. E o plano personalizado, que é tratado quando há parcerias.



Loja Licenciada

O novo modelo de negócio oferece toda a estrutura e uso da marca da MeuChope. “O licenciado só precisa ter um imóvel, um ponto que será analisado por nós, para ser um novo local da MeuChope”, explica Augusto Sato.


De acordo com o empresário, o valor do investimento é de R$30 mil. A partir daí, o licenciado terá todo o suporte e treinamento para ser um ponto de venda dos melhores chopes artesanais. “Nossa tecnologia permite que o consumidor tenha total autonomia de escolher o chope que quiser, na quantidade que escolher, sem enfrentar filas, sem necessidade de garçons, com o uso do próprio smartphone para fazer a escolha dos chopes disponíveis, no local onde ele se encontra”, reforça.


Segundo Sato, o licenciado tem apenas a responsabilidade sobre o seu ponto, pois toda a tecnologia e abastecimento de barris é administrada pela MeuChope. A operação é 24h e o investidor ganha por litragem vendida.



Posts recentes

Ver tudo

Siga as nossas redes e fique por dentro de tudo do

mundo cervejeiro!

  • LinkedIn
  • Twitter
  • Instagram
  • YouTube
  • Spotify
bottom of page